Boiler de Alta e Baixa Pressão

Em sistemas de aquecimento solar de água, os boilers desempenham o papel de conservar a água aquecida pelos coletores. Dependendo do desnível no telhado ou no local de instalação, deve-se optar por um boiler de alta pressão ou por um boiler de baixa pressão.

O boiler de alta pressão é recomendado quando o desnível entre a caixa de água e o ponto de instalação do boiler é maior do que 4 metros (e não superior a 40 metros) e também no caso de sistemas com bombeamento de água. Nessa condições, a pressão exercida pela água nas paredes internas do reservatório são elevadas.

Quando a água aquecer, ela se dilatará, e com isso, seu volume irá aumentar, elevando mais ainda a pressão interna do boiler. Caso seja usado boiler de baixa pressão em casos como esse, com o tempo fissuras e vazamentos irão ocorrer. Quando a água dilatar, o volume extra deverá escoar para algum ponto, mas é importante que a água aquecida não retorne para a caixa, por isso, é comum o uso de sifão para impedir esse retorno.

Os boilers de alta pressão exigem uma instalação mais complexa, com alguns itens de proteção especiais como:

  • Vaso expansor – Quando a água dilatar, o vaso expansor irá absorver o seu volume extra.
  • Válvula de segurança – Serve para liberar água caso o vaso de expansão não consiga absorver todo o volume.
  • Válvula eliminadora de ar – Elimina bolhas de ar que se formam no percurso da água até o boiler.
  • Válvula quebra vácuo – A medida que o boiler é esvaziado, essa válvula permite a entrada de ar para equilibrar a pressão interna e externa do reservatório.
  • Válvula redutora de pressão – é instalada na entrada do boiler e serve para reduzir a pressão quando esta puder ser danosa ao reservatório.

Nos sistemas de baixa pressão, o desnível entre o boiler e a caixa de água não deve ser superior a 5 metros. Nesse tipo de reservatório, o vaso expansor não é necessário, uma vez que a pressão interna será menor.

Muitas pessoas possuem sistemas de bombeamento de água, principalmente em sistemas off grid, e com isso vem a dúvida de qual boiler usar. Em sistemas de bombeamento, torna-se obrigatório o uso de reservatórios de alta pressão pois a bomba hidráulica eleva a pressão final da água.

Como vimos, o boiler deve ser selecionado em função das características do sistema, em especial, quando houver bombeamento de água. Em sistemas cuja distância entre o reservatória e a caixa de água seja de no máximo 5 metros, um boiler de baixa pressão deve ser escolhido.

Tem interesse em reservatórios térmicos ? Confira nossos modelos clicando aqui.

Venda de energia excedente em discussão na Câmara dos Deputados

Novo projeto de lei prevê a possibilidade de comercialização do excedente da energia que consumidores residenciais ou comerciais injetam na rede.

Deputado Federal Lucas Redecker, propõe projeto de lei, PL 3881/2019, que permitirá a comercialização de energia excedente gerada por consumidores residenciais, comerciais e industriais com sistemas de geração de energia instalados em suas propriedades.

Após o advento da regulamentação da Aneel para a geração distribuída, RN 486/2015, o segmento no país saiu da inércia alçou um crescimento expressivo, atingindo, ao final de 2018, mais de 53 mil conexões (Fonte: ABGD)

Com a regulamentação estes consumidores, que passaram a gerar uma boa parte da sua própria energia, também armazenam o excedente em forma de créditos.

A geração fotovoltaica, dentre as demais, teve papel importante nesta ampliação, pois a disponibilidade de telhados com capacidade para receber painéis solares impõe grande diferencial dentre as demais fontes. No ano de 2019 a geração fotovoltaica representa cerca de 84% da Geração Distribuídas (Fonte: ABGD).

No entanto, a política de geração e consumo de créditos traz alguns vieses, como a necessidade de consumir eventuais créditos em menos de 60 meses e a impossibilidade de comercializar a energia gerada de forma direta.

Este cenário mudaria com a aprovação do Projeto de Lei que tramita na Câmara dos Deputados. A realidade de muitos países que já possuem leis e regulamentações no sentido da liberdade de compra e venda de energia no varejo, como a Alemanha, se aproximaria da realidade dos brasileiros.

O cidadão que gera sua própria energia com sobra poderia obter uma forma de renda complementar.

Assim o Projeto de Lei, PL 3881/2019, também contribuiria para aumento e distribuição de renda, já que toda a energia comercializada no varejo hoje, passa obrigatoriamente pelas distribuidoras.

Enquanto empresa que fornece produtos e soluções que permitam o uso e a produção de energia solar pelo maior número de pessoas e instituições, contribuindo para uma matriz energética mais sustentável, a Energy Shop apoia este Projeto de Lei.

Você também quer gerar a energia que consome? Veja nossas opções de kits de geração conectados a rede aqui.

Tipos de Conexão com Baterias Estacionárias

Os sistemas fotovoltaicos off grid costumam operar em tensões de 12, 24, 36 ou 48 Volts. Para atingir esses níveis de tensões é preciso associar as baterias em diversos modos. Nesse artigo, explicaremos as diferenças entre as conexões série e paralelo de baterias.

Uma bateria estacionária possui tensão de 12 Volts. Assim, caso queiramos obter 48 volts na saída, por exemplo, precisamos ligar as baterias em série para que as tensões sejam somadas. A conexão série é feita conectando o terminal positivo de uma bateria no terminal negativo da próxima bateria e assim sucessivamente até o numero de baterias que formam a tensão desejada.

Na conexão série, a tensão da bateria é somada porém a corrente que circula será a mesma, desse modo, é incorreto pensar que ao colocar baterias em série, a sua capacidade de corrente irá mudar. Por exemplo, se temos duas bateria de 150 Ah conectadas em série, a capacidade do conjunto continuará sendo de 150 Ah e não de 300 Ah.

A conexão em paralelo faz o papel oposto, mantendo a tensão da associação em 12 Volts e aumentando a corrente. Por exemplo, ao se associar quatro baterias de 150 Ah em paralelo, a capacidade do conjunto será alterada para 600 Ah, já a tensão será mantida em 12 Volts. A conexão em paralelo é feita conectando os terminais positivos das baterias entre si. O mesmo é feito com os terminais negativos.

Conexão de baterias em paralelo

Ao se conectar baterias em série, todas devem possuir a mesma corrente pois, ao realizar a conexão, a corrente será limitada pela menor delas. Por exemplo, se conectarmos duas bateria em série, uma de 150 Ah, e outra de 220 Ah, a tensão final será de 24 Volts, mas a corrente será de 150 Ah (a menor entre as duas) e a bateria de maior capacidade ficará subutilizada. Pelo fato das bateria possuírem cargas diferentes, elas terão regimes de carga e descarga diferentes, o que provocará desbalanceamento das tensões, que leva a um mau funcionamento do controlador.

No caso de baterias em paralelo, se baterias de diferentes capacidades forem usadas, as baterias também se descarregarão de forma não uniforme e as de tensão menores funcionarão então como carga para as demais. Esse efeito aumentará o desbalanceamento das tensões e fará com que o controlador não trabalhe de maneira adequada

Quando uma bateria precisa ser trocada, é importante então que a bateria nova possua a mesma capacidade da antiga, mantendo o equilíbrio de todo o conjunto.

Esse artigo ilustrou como deve ser feita a conexão em série e em paralelo entre baterias e também mostrou alguns problemas que podem ocorrer quando se conectam baterias de capacidades diferentes no mesmo sistema (erro comum).

Pensando em instalar sistemas de baterias ? Clique aqui e confira nossos modelos.